Síndrome de Cotard: Os zumbis da vida real

1

Quando ainda estava na faculdade de medicina, Jesús Ramirez recebeu a visita de um paciente. Até aí, tudo bem. Porém, o estudante não contava com a reclamação do suposto enfermo, ele afirmava estar morto. O ano era 1995, e o paciente recebeu o diagnóstico de esquizofrenia. Anos se passaram e o jovem encontrou outros casos semelhantes. Ele os pesquisou a fundo, chegando a descobrir que aquele primeiro paciente tinha, na verdade, a síndrome de Cotard. A síndrome é denominada também como delírio da negação ou niilista, quando alguém questiona a motivação de sua própria vida.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o manual de diagnóstico da Associação Psiquiátrica dos Estados Unidos não certificam existência da doença. Porém, segundo o Dr. Ramirez, que hoje é psiquiatra, pessoas que sofrem da síndrome de Cotard são muito negativas e não possuem os mesmos aparatos que uma pessoa saudável para lidar com a realidade. Além de pensar que estão mortas, essas pessoas ainda podem apresentar delírios, como pensar que estar sobre feitiço ou bruxaria, e, além disso, podem acreditam que sejam imortais. Pode haver pacientes que não tenham a sensação de estarem mortos, assim como pode acontecer de ele sentir que esteja morto e seja imortal. Quadro clínico esse que pode levar a pessoa a cometer suicídio.

 

~ by dineyinsights on December 4, 2015.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: